O Museu

Museu Manabu Mabe

MUSEOLOGIA

O projeto museológico determina o conceito do museu e a linha mestra. As atividades a serem desenvolvidas serão decorrentes da adoção das políticas de ação. A proposta será instrumentalizada por projetos complementares que integrados, completarão o projeto. O artista plástico Manabu Mabe é um expoente entre os artistas da cultura Nipo-Brasileira. Foi um dos que alcançou grande prestigio internacional. Trabalhador incansável e disciplinado nos deixou como legado, uma obra de enorme representatividade. Utilizando a cor e texturas, tornou-se um mestre do Abstracionismo Informal.

O processo museológico se inicia basicamente quando se dá a identificação de um acervo, uma obra, um fato ou um bem cultural a ser preservado. Esse elenco de bens culturais identificados na obra de Mabe, passiveis de serem conservados, restaurados e preservados para as gerações futuras, será a matéria prima do Museu.

EXPOSIÇÕES

Será pautado pela organização de exposições temporárias de longa e curta duração sobre o próprio Mabe, artistas Nipo-Brasileiros e demais artistas Asiáticos (Chineses, Coreanos...). No sentido de divulgar as obras serão produzidas mostras itinerantes que promoverão a organização de eventos paralelos relativos ao tema. O Intercâmbio internacional também será fomentado, com permutas de exposições ou obras, com preferência para as entidades culturais sediadas nos países onde Mabe manteve atelier profissional, como o Japão, EUA, Inglaterra e França.

PÚBLICO

É no contato com o público que o Museu concretiza sua principal função, a de comunicar o patrimônio devidamente preservado. Para os museus contemporâneos isso é um grande desafio.

Nas cidades grandes, onde a oferta cultural é farta, a articulação do museu se dá de modo a garantir a eficiência de sua programação, fazendo da instituição um importante equipamento difusor de informações artísticas, históricas, tecnológicas e de turismo e lazer cultural. A partir de um trabalho desenvolvido com vários segmentos sociais e especialmente com formadores de opinião, com público jovem e estudantes, o museu cumpre a função de articulador levando a uma reflexão sobre questões das artes visuais e processos criativos, tão pertinentes na sociedade contemporânea.

O edificio escolar tombado é um indicativo simbólico, histórico e factual, de vocação deste novo museu para atuar junto a rede escolar pública e privada. Agregada a coleção está a importância histórica da edificação localizada em um bairro cuja característica remete a cultura e imigração japonesa, da qual nosso principal biografado é legitimo representante. No contato com obras artísticas, os franqueadores do museu vão poder conhecer realmente a linha evolutiva da criação de um artista de um grupo com características comuns – o abstracionismo.

A gestão eficiente do museu desencadeará o sucesso do público. É numa visão participativa em que pesquisas aplicadas aos franqueadores reais e virtuais, que se desenvolverá um amplo leque de possibilidades de programação, envolvendo o pessoal capacitado, a equipe técnica, patrocinadores e atendimento aos visitantes.

ESTRUTURA FISICA DO MUSEU

O Museu terá como estrutura interna: salas expositivas que servirão para a exposição permanente de Manabu Mabe, artistas Nipo-Brasileiros, demais países Asiáticos e para exposições temporárias contemplando também exposições de artistas nacionais e internacionais, um auditório para 250 pessoas para cursos, palestras, congressos, simpósios, workshops, cinema, vídeo e teatro, salas para cursos e oficinas de artes plásticas, cerâmica, aquarela, processos de restauração entre outros cursos, reserva técnica, laboratório de restauração de obras de arte, café e uma livraria de livros de arte e cultura.

PESQUISA

O Museu terá como propósito ser referencia na exposição e na pesquisa da arte e da cultura Nipo-Brasileira, e também das outras culturas Asiáticas estabelecidas no Brasil, como a Chinesa e Coreana, através da implantação de um Centro de Documentação com sistemas de consultas virtuais com um portal na internet, terminais de consulta no Museu e consultas físicas com uma biblioteca.

SUSTENTABILIDADE

A sustentabilidade do Museu se dará com o tripé: apóio publico, apoio privado e recursos gerados pelo museu como: ingressos, cursos, ulilização do auditório para palestras, seminários, venda de produtos da livraria e café e a prestação de serviço de guarda e restauração de obras de arte.

AÇÃO SOCIAL

O Instituto Manabu Mabe inseriu junto com as obras do Museu um Projeto de Ação Social envolvendo menores e maiores carentes treinados na arte de restauração de patrimônio histórico. Onde estão sendo oferecidos a eles oficinas de arte e de restauração ministradas pelo artista plástico Yugo Mabe e pelo restaurador Antonio Sarasá - Diretor do Estúdio de Restauração Sarasá e também contratamos alguns desses aprendizes para o restauro de parte das obras. Esse mesmo projeto pretendemos inserir dentro do Museu depois aberto ao público.


Museu Manabu Mabe


Museu Manabu Mabe


Museu Manabu Mabe


Museu Manabu Mabe


Museu Manabu Mabe


Museu Manabu Mabe